• Email: contato@paroquiadetrindade.com.br
  • Telefone: (62) 3505-1129

SANTUÁRIO MATRIZ DO DIVINO PAI ETERNO

O Santuário Matriz do Divino Pai Eterno passou por diversas reformas que pouco ou muito alteraram suas formas internas, como a retirada das paredes em volta do presbitério e do púlpito. Uma das mais significativas deu-se quando o Pe. Renato ocupava o cargo de vigário. A reforma que começou em 1958 e terminou em dezembro de 1960 fez várias alterações no santuário, como a substituição das janelas por vitrôs e do piso assoalhado por granitina e a modificação da fachada. Essa reforma foi necessária, porém o descaracterizou.
   No começo de 1980, o seu estado era tão precário que Jornais de Goiás noticiavam como certo seu desmoronamento a qualquer instante, pondo em risco a vida dos fiéis. No dia 13 de outubro de 1980, o Diário Oficial do Estado de Goiás publicava a lei nº 8.915, que tombava para o Patrimônio Histórico do Estado de Goiás, o Santuário Matriz do Divino Pai Eterno. Assim, por lei o Estado assumiria qualquer reforma ou alteração que se fizesse necessária no santuário, sendo que a reforma que buscou reintegrá-lo às suas características originais aconteceu somente em 1984.
  Outra reforma emergencial aconteceu em 2001, onde foram retiradas das paredes da igreja as 14 pinturas das estações da via-sacra, por não fazerem parte do projeto original, conforme documentos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).
   Em 2010 devido à ação do tempo e a deterioração em que se encontrava o Santuário Matriz, realizou-se o serviço emergencial de revitalização da cobertura, que estava comprometida pelo acúmulo de goteiras que vazavam dentro da igreja e pela umidade excessiva que se infiltrava nas paredes. Os serviços arquitetônicos executados pelo IPHAN nesta ocasião foram a recuperação da cobertura e de toda a sua estrutura, além das chapas de zinco das duas torres, calhas e rufos que foram trocados por novos, bem como a pintura também.


Outras Comunidades:



Endereço
Praça do Santuário, nº 238 Centro

Coordenador(a)
Pe. Marco Aurélio